Olho da Mata
O projeto Olho da Mata consiste em reiniciar a exploração de uma gruta, cujos últimos trabalhos conhecidos datam do final dos anos 80.


 
A gruta foi na altura topografada, tendo esta topografia sido inclusive publicada. A zona terminal da gruta continua a ter segundo os relatos ainda potenciais continuações que nunca foram exploradas. A gruta abre-se nas escarpas do Arrife e é um coletor freático, funcionando como uma nascente temporária.
 
A sua localização estratégica permite antever potencias ligações, resta saber se acessíveis a espeleólogos, a outras nascentes ativas como Vila Moreira, e quem sabe a nascente do Alviela, ou mesmo a grutas já abandonadas pela circulação como o algar das Gralhas VII. Os trabalhos do ano anterior permitiram o reconhecimento de cerca de 2/3 da extensão topografada da gruta. Acalmem-se os mais friorentos e temerosos das verticais, até agora apenas são conhecidos dois sifões (ambos perto da entrada) e a progressão é sobretudo horizontal, apenas se tendo de vencer alguns destrepes.
 
Para mais, esta gruta está “condenada” pois encontra-se numa área em que foi concessionada uma pedreira cuja laboração já começou e que provavelmente levará à destruição desta gruta. Já não resta muito tempo para quem a quiser visitar. Aproveite-se enquanto se pode.
 
 Implantação em SIG por Pedro Robalo (GEM)